HISTÓRIAS DE TALENTO, AMIZADE E COZINHA ITALIANA

12 April 2018
HISTÓRIAS DE TALENTO, AMIZADE E COZINHA ITALIANA

Em exibição, desde 5 de abril de 2018, o filme «Quanto Basta» do realizador Francesco de Falaschi, um autor conhecido pelas suas curtas-metragens e pelos numerosos prémios que conquistou a nível internacional.

Uma história de amizade e de cozinha Made in Italy em que a GlemGas também participa, juntamente com os principais atores protagonistas: Vinicio Marchioni, Valeria Solarino e Luigi Fedele. Com efeito, os fornos de encastrar e as placas de indução Glem são elementos importantes na cenografia do concurso culinário para jovens talentos que se realiza na Toscana, no qual Guido participará, chegando à final, apesar das dúvidas iniciais do seu Professor-Tutor Chef Arturo.
Arturo é um chef talentoso e rebelde com problemas de controlo da agressividade que, tendo sido preso na sequência de uma briga, deve cumprir os últimos meses da pena nos serviços sociais, dando aulas de cozinha num centro para jovens autistas, onde a Anna trabalha. Neste centro encontra Guido, um jovem aspirante a cozinheiro com síndrome de Asperger e uma grande paixão pela cozinha. A improvável amizade e a relação fraterna que surgirá entre os dois mudarão o destino de ambos.
Arturo é uma pessoa com forte tendência para a crítica e polémica, diz sempre tudo o que pensa mas, apesar das escolhas nem sempre acertadas da sua vida, o seu talento na cozinha é inegável.
Guido muito mais reflexivo e introvertido, sabe de cor as receitas dos grandes Chefs e tem um paladar apuradíssimo. Não gosta do contacto físico e quer participar no concurso para conseguir o estágio e entrar finalmente no mundo do trabalho. Ambos têm uma visão pessoal dos alimentos e da gastronomia. E, não obstante a sua excentricidade, na cozinha são mais tradicionalistas do que investigadores. Apesar de «Quanto Basta» ser um filme que se baseia mais na amizade do que na cozinha, é na comida que descobrem o que têm em comum: são escrupulosos e intransigentes. É na viagem que os dois fazem juntos à volta do concurso, que se verifica uma inversão progressiva de perspetiva, até ao ponto de o espetador não perceber quem está a acompanhar quem.

Temos muito orgulhoso em ter dado o nosso contributo a um filme que fala de emoções e sentimentos positivos, onde se cruzam personalidades diferentes, rigor, tradição e modernidade, com um convite à mudança e à partilha a que não podemos deixar de dar o nosso apoio.